InícioParanáFoz do IguaçuCataratas do Iguaçu: o que ver e como visitar os dois lados

Cataratas do Iguaçu: o que ver e como visitar os dois lados

As Cataratas do Iguaçu são um dos destinos turísticos mais famosos da América do Sul. Suas belezas naturais combinada com a infraestrutura e várias opções de lazer de Foz do Iguaçu fizeram da região um grande polo turístico.

As Cataratas localizam-se na fronteira entre o Brasil e a Argentina e existem dois parque para observá-las, um em cada país. Para conhecer essa beleza natural em sua plenitude, formada por 275 quedas d’águas, é preciso contemplá-las dos dois lados.

Nesta matéria vamos mostrar as peculiaridades desse patrimônio natural, como visitar cada um dos parques e o que fazer. Vamos começar pela informação mais básica.

Cataratas do Iguaçu, onde fica?

As Cataratas do Iguaçu estão localizadas no oeste do Paraná, na fronteira com a Argentina. A porta de entrada para a região é Foz do Iguaçu, um cidade turística de 260 mil habitantes, com um aeroporto que recebe muitos voos e uma boa rede de hotéis.

Já na Argentina fica Puerto Iguazú, uma cidadezinha de 45 mil habitantes que possui boas opções de restaurantes especializados em carne e hotéis de selva com ótimo custo benefício.

Não podemos deixar de falar que o Paraguai está a cerca de 12 km das Cataratas e também recebe turistas que visitam a Tríplice Fronteira e a Ciudad del Leste, famoso destino de compras.

cataratas do iguaçu ingresso
Cataratas com as quedas d’águas cheias – lado brasileiro

Destino turístico da moda

As Cataratas do Iguaçu são importante destino turístico. Segundo boletim do Governo do Estado do Paraná, o parque brasileiro recebeu 2 milhões de turistas em 2019, ano pré-pandemia de Coranavírus (covid19).

Esse destino está em grande ascensão e se tornando um dos destinos da moda no Brasil. Houve um crescimento de quase 100% em relação a 2009 quando o local recebeu um milhão de turistas (1.070.072).

Apesar dos brasileiros serem a maioria dos visitantes, eles representam apenas 53% dos turistas. Argentinos, paraguaios, norte-americanos, franceses e espanhóis completam a lista das nacionalidades que mais visitam o Parque Nacional do Iguaçu.

Mesmo comparando apenas as quedas d’água pelo mundo, o destino sul americano ganha destaque. Uma pesquisa de popularidade feita pelo portal Showers To You no Instagram, mostrou que as Cataratas do Iguaçu era o segundo local mais popular do mundo, perdendo apenas para as Cataratas do Niágara localizada na divisa entre EUA e Canadá.

Cataratas do Iguaçu: lado brasileiro

As Cataratas do Iguaçu do lado brasileiro ficam dentro do Parque Nacional do Iguaçu. As origens do parque remetem a 1916, quando Santos Dumont visitou o local e sugeriu ao Governador do Paraná que um local tão singular não poderia pertencer a um particular.

No mesmo ano, o governador transformou o local em “povoado e parque”. Algumas décadas depois, em 1939, o presidente Getúlio Vargas criou o Parque Nacional do Iguaçu. Já na década de 1990, a parte turística do parque passou a ser administrada pela iniciativa privada.

Começo da Trilha das Cataratas
Começo da Trilha das Cataratas

O que fazer nas Cataratas do Iguaçu

As Cataratas do Iguaçu são formadas pelas quedas d’água do Rio Iguaçu. São 275 quedas, a maior parte delas do lado argentino. Por isso, do parque brasileiro se tem uma visão panorâmica e privilegiada das Cataratas; é possível vê-las no conjunto, enquanto na Argentina, elas são vistas mais de perto, mas sem ter ideia da dimensão do todo.

A visita ao parque brasileiro começa com o transporte em um ônibus turístico. Após passar pela bilheteria, é necessário pegar um ônibus para chegar até a trilha e os mirantes.

Os ônibus são super confortáveis, a maioria são de dois andares e todos com desenhos divertidos da fauna brasileira. Eles fazem quatro paradas: Estação Poço Preto (onde há uma trilha), Macuco Safári (onde há o passeio de barco até as quedas), Trilha das Cataratas (início da trilha) e Porto Canoas (final da trilha e onde há um restaurante).

Ônibus do Parque Nacional do Iguaçu
Ônibus do Parque Nacional do Iguaçu

No parque brasileiro o passeio tradicional consiste em descer na parada Trilha das Cataratas e fazer uma pequena caminhada em uma “trilha” em meio a mata, em que é possível ver as Cataratas de vários ângulos.

No final há uma passarela de observação sobre o Rio Iguaçu (foto de capa), em que é possível chegar perto da famosa queda Garganta do Diabo. Essa caminhada é bem tranquila e leva de uma a uma hora e meia, já computado o tempo que paramos para tirar as fotos.

Mirante em Porto Canoas
Mirante em Porto Canoas

Atividades extras nas Cataratas do Iguaçu

A trilha Poço Preto e o passeio de barco, Macuco Safári, são atividades extras e pagas a parte. Se quiser fazer uma atividade extra opte pelo passeio de barco, que é a escolha da maioria dos visitantes.

O Macuco Safári é um passeio de barco até as quedas d’água das Cataratas e é bem legal. Apesar de caro, é muito interessante. Gostei bastante! O passeio dura duas horas, sendo que a maior parte do tempo é para ir e voltar até o porto. Veja aqui mais informações e os preços.

Barco do Macuco Safari ao lado da queda d'água
Barco do Macuco Safari ao lado da queda d’água

Já a trilha Poço Preto é composta de várias atividades: duas trilhas e um passeio de barco na parte alta do Rio Iguaçu, mas que não chega até as quedas. O passeio dura três horas e meia e é mais voltado para a observação da fauna e da flora. Não fiz esse passeio, mas pelo que me falaram, ele é mais interessante para quem nunca entrou em uma floresta.

Uma outra atividade extra é o passeio de helicóptero, onde é possível fazer voos panorâmicos sobre as Cataratas; ela fica ao lado da entrada do Parque. Eu não fiz o passeio, mas quem faz diz que é muito legal. O problema é o preço, mais de R$300 por pessoa para um voo de 10 minutos.

Como chegar nas Cataratas do Iguaçu

O Parque Nacional do Iguaçu fica a 20 Km do centro de Foz do Iguaçu. O jeito mais barato de chegar é de transporte público. A linha de ônibus 120 sai do Terminal de Transportes Urbanos (TTU) e custa R$3,95 [maio/2021]. O trajeto demora uns 40 minutos e há ônibus saindo a cada meia hora, em média. Veja os horários do ônibus aqui.

Por outro lado o jeito mais prático e cômodo é com um tour. Como custa R$135 para te buscar e levar de volta ao hotel, esse é a opção escolhida por vários turistas. Para saber mais e fazer reserva acesse aqui.

Para quem desejar ir de carro, o estacionamento do parque custa R$31 [maio/2021] para carro ou moto. Mas, há outros estacionamentos próximos mais baratos.

Onde comer

Essa é uma das partes mais deficitárias do parque, pois há poucos locais de comer e eles são bem caros! Há algumas lanchonetes e um restaurante. O Porto Canoas é o único restaurante dentro do parque e o seu buffet self service custa R$74 [maio/2021] por pessoa, sem incluir bebidas e sobremesa. O restaurante fica aberto das 12:00 às 16:00 horas.

Melhor mirante para fotografar que fica no meio da Trilha das Cataratas
Melhor mirante para fotografar que fica no meio da Trilha das Cataratas

Horário de funcionamento

O Parque abria todos os dias, das 9:00 às 17:00 horas. Mas, devido a pandemia de coronavírus, há restrições de dias e horários.

Cataratas do Iguaçu ingresso

A entrada no Parque Nacional do Iguaçu custa R$38 [nov/2018] para adultos, R$10 para crianças (2 a 11 anos) e também R$10 para idosos (a partir de 60 anos). É possível comprar pela internet, mas há uma taxa de conveniência de R$6. Para comprar seu ingresso clique aqui.

Belmond Hotel das Cataratas

O único hotel que fica dentro do Parque Nacional do Iguaçu é o Belmond Hotel das Cataratas. Ele fica em um local privilegiado, bem ao lado das cataratas, podendo ver a queda d’água do seu quarto. O único problema é o preço da hospedagem que costuma passar de R$1.000 a diária.

Foz do Iguaçu possui várias outras opções de hotéis, para saber mais as duas principais regiões para se hospedar leia: Foz do Iguaçu: quando ir e onde ficar, já se quiser conhecer os melhores hotéis da cidade leia Do luxo a resorts, conheça os melhores hotéis de Foz do Iguaçu.

Algumas pessoas optam por se hospedar no lado argentino, onde você encontrará os charmosos hotéis de selva com melhor custo-benefício devido ao câmbio.

Cataratas Argentina

Na Argentina, as Cataratas localizam-se dentro do Parque Nacional Iguazú, na cidade de Puerto Iguazú. O parque argentino possui algumas diferenças em relação ao brasileiro. Podemos dizer que o passeio na Argentina é mais aventureiro. Há muito mais o que ver e caminhadas maiores para se fazer.

No lado brasileiro, o passeio tradicional é percorrer uma pequena trilha, em que você tem uma visão mais panorâmica das Cataratas, principalmente, das quedas d’água do outro lado.

Já no lado argentino, não se tem uma visão tão geral das Cataratas, mas você caminha ao lado das quedas d’água. Há três percursos para caminhar: superior, inferior e Garganta do Diabo. Por isso, os turistas ficam mais distribuídos pelo parque e o passeio dura mais tempo.

Trem

Ao contrário do parque brasileiro, a entrada do Parque Nacional Iguazú é próxima aos locais de caminhada. Por isso, é possível percorrer todos os caminhos andando. Só é necessário usar um meio de transporte para chegar até a famosa queda d’água Garganta do Diabo. E no parque argentino, o meio de transporte é um trenzinho. O trem é bonito e é um passeio interessante. Mas, a logística não funciona muito bem. O trem demora para passar e nunca se sabe quando será o próximo.

Leia também: Cataratas do Iguaçu: diferenças entre o lado brasileiro e o lado argentino

Trem do Parque Nacional del Iguazú
Trem do Parque Nacional del Iguazú

Garganta do Diabo

A Garganta do Diabo é o ponto auge da visita ao parque argentino. Essa é a queda d’água mais alta das Cataratas do Iguaçu, possui 82 metros de altura. A queda é em forma de U e possui 700 metros de comprimento.

Para chegar até a Garganta do Diabo é necessário pegar o  trem, que demora 15 minutos para chegar ao destino. Depois, ainda tem uma caminhada de 1100 metros por passarelas sobre o Rio Iguaçu para chegar até a queda d’água.

Como o trem leva muitas pessoas, quando ele chega, o mirante da Garganta do Diabo fica bem cheio e é ruim para tirar fotos. A dica é esperar uns 20 minutos para fazer a caminhada, pois o local estará mais vazio e ainda não terá chegado o próximo trem.

garganta-do-diabo-cataratas-do-iguacu
Passarela sobre o Rio Iguaçu
cataratas-del-iguazu
Plataforma de observação da Garganta do Diabo

Circuito Superior e Inferior

As outras duas caminhadas que você poderá fazer são o Circuito Superior e Inferior. Como o próprio nome já diz, no Circuito Superior (foto de capa) você anda no alto das quedas d’água, vê as cataratas de cima para baixo. Essa seria uma visão equivalente ao do parque brasileiro, mas vista na direção oposta. O circuito possui 1750 metros de extensão e segundo o parque o tempo estimado da caminhada é de duas horas, mas eu fiz em muito menos.

Já no Circuito Inferior, você caminha na parte de baixo e vê as quedas d’água de baixo para cima.  Esse circuito é maior que o superior e no percurso ainda há algumas escadas, o que torna mais cansativa a caminhada. Eu não fiz esse percurso, devido à falta de tempo, mas me arrependi. As pessoas costumam gostar mais do Circuito Inferior do que do Superior.

circuito-superior-e-inferior-cataratas-do-iguacu
Circuito Superior

Como chegar nas Cataratas Argentina

Há quatro formas de ir ao parque: transporte público, empresa de turismo, carro e táxi. Táxi é o jeito mais caro e deve ser sua última opção.  Agora vamos falar das demais três opções:

Empresa de turismo

Por incrível que pareça essa é a opção mais barata para chegar ao Parque Iguazú. Mas, é claro depende da empresa. Os valores variam muito de empresa para empresa. A Civitatis possui um ótimo preço e tem um serviço de qualidade. Custa cerca de R$144 o transporte em micro-ônibus até o parque argentino que te busca e de deixa no seu hotel. Ainda há opção do almoço incluso. Para saber mais informações, ver os preços e fazer reserva clique aqui.

Transporte Público

Esse é a opção que escolhi pensando que seria a mais barata. Ir por conta própria te dá mais liberdade do horário de ir e voltar, mas acaba gastando mais tempo já que você precisa pegar dois ônibus. Primeiramente, você precisa chegar à Argentina. Há um ônibus que vai de Foz do Iguaçu a Puerto Iguazú.

Ele sai de perto do Terminal de Transporte Urbano, TTU, passa por várias avenidas de Foz e vai até o terminal rodoviário de Puerto Iguazú. Três empresas fazem esse percurso: Celeste, Rio Uruguay e Itaipu. O ônibus custa cerca de R$8 (maio/2021) e passa a cada meia hora, em média.

Estando no terminal rodoviário de Puerto Iguazú, há um ônibus que vai direto até as Cataratas argentinas. Apenas a empresa Rio Uruguay faz esse trajeto. O ônibus custa cerca de R$40 (ida e volta) e sai a cada 30 minutos. Esse é um ônibus especial, com ar condicionado, bem melhor do que o que faz a travessia até o Brasil! Compre diretamente na Rio Uruguay, porque se comprar em outro lugar, o preço será mais alto.

Carro

Para quem já está de carro em Foz do Iguaçu, essa é uma boa opção, porque não é longe. O que é importante saber é que você precisará tirar a Carta Verde, que é uma espécie de seguro DPVAT, que protege em caso de acidente nos países do Mercosul. A Carta Verde é feita por corretoras de seguros e seu preço varie de acordo com a quantidade de dias necessárias. Caso queira alugar um carro, confira as tarifas aqui.

O estacionamento do Parque Nacional de Iguazú custa 200 pesos para carros [maio/2021].

Guichê da Rio Uruguay na rodoviária de Puerto Iguazú
Guichê da Rio Uruguay na rodoviária de Puerto Iguazú

Ingresso Cataratas do Iguaçu

O ingresso do parque argentino é mais caro que do brasileiro, custa 1.200 Pesos [maio/2021] para pessoas residentes em países do Mercosul, o que inclui brasileiros. Para saber todas as tarifas acesse o site oficial do parque clicando aqui. Para comprar o ingresso não são aceitos Reais, apenas Pesos Argentinos ou cartão de crédito. O ingresso é a única coisa que você não poderá pagar em Reais, mas nas lanchonetes, lojas de conveniência e transporte a moeda brasileira é aceita.

Onde Comer

Há lanchonetes e restaurante dentro do parque, entretanto o preço é meio alto para o que eles oferecem. No centro de Puerto Iguazú, você encontra restaurantes bem melhores pela mesma faixa de preço. Já com relação a sua hidratação, não é necessário comprar água mineral. Há algumas torneiras de água potável, nas quais está escrito “agua potable”.

Onde hospedar

A maioria dos turistas se hospedam em Foz do Iguaçu, pois é uma cidade maior e com mais oferta de hotéis. Entretanto, pouca gente sabe que Puerto Iguazú possui interessantes hotéis a preços muito bons, devido ao câmbio. Os mais especiais são os hotéis de selva, para saber mais leia Onde se hospedar em Puerto Iguazú.

Caso queira ficar em Foz do Iguaçu, saiba que os hotéis se concentram em duas regiões: Centro e Avenida das Cataratas. Essas são duas regiões completamente diferentes, para saber qual mais combina com você leia: Foz do Iguaçu: quando ir e onde ficar. Agora se seu intuito é conhecer os hotéis mais confortáveis e com as melhores áreas de lazer veja a seleção que nós fizemos no post: Do luxo a resorts, conheça os melhores hotéis de Foz do Iguaçu.

Felipe Zighttps://www.abraceomundo.com/
Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui