Início Minas Gerais Ouro Preto Casa dos Contos: a história brasileira através do dinheiro

Casa dos Contos: a história brasileira através do dinheiro

A Casa dos Contos em Ouro Preto é, ao lado do Museu da Inconfidência, um dos principais locais de visitação da charmosa cidade mineira. Situada na região central da cidade, foi construída entre 1782 e 1787. Sua finalidade foi servir de residência de João Rodrigues de Macedo.

À época, Macedo era o cobrador de impostos da Capitania de Minas Gerais.

Anteriormente ao seu funcionamento como museu, o casarão teve vários fins. Primeiramente, como sede da administração pública da Capitania de Minas (1797); depois como casa de fundição de moedas (1820 a 1844); Correios e Caixa Econômica Federal (a partir de 1897); e como Prefeitura Municipal (1970).

Por último, em 1973, de volta ao comando do poder público federal, tornou-se museu por decisão do Ministério da Fazenda.

Muitas pessoas associam seu nome à poemas ou prosas. Mas o “Contos” que acompanha sua denominação é oriundo do ato de contar. No caso específico, o dinheiro – ou moedas e ouro – que circulavam no estado de Minas durante o Século 18.

Nesse artigo iremos conhecer o museu que funciona no casarão, além de suas curiosidades e acervo.

museu casa dos contos ouro preto
Átrio da Casa dos Contos – Foto: Antonio Correa (CC BY 2.0)

Construção e curiosidades da Casa dos Contos de Ouro Preto

O projeto da Casa dos Contos é atribuído ao Mestre Antônio de Souza Calheiros e ao Mestre José Pereira Arouca. Por anos, foi considerada a casa mais cara da capitania de Minas Gerais. Para se ter ideia, sua avaliação em 1803 alcançou a quantia de 40 contos de réis. Lembrando que, naquela época, 1 conto de réis comprava 1kg de ouro, em valores atualizados é como se a casa custasse R$ 12,5 milhões nos dias de hoje.

Além da localização privilegiada – o casarão fica no início da Rua São José, o principal ponto comercial de Ouro Preto – a construção teve nomes importantes em sua história. Os tetos do local foram pintados, por exemplo, por Manoel da Costa Ataíde. Manoel foi um dos principais pintores e decoradores do barroco-rococó do país.

teto casa dos contos ouro preto
Os tetos foram pintados por grande nome da pintura barroca – Foto: Wikipédia

Acervo histórico e o que visitar na Casa dos Contos

Diferente dos demais museus de Ouro Preto, a Casa dos Contos tem um acervo focado na moeda brasileira. Além disso, ela percorre as mudanças econômicas através do tempo. Em comparação ao Museu da Inconfidência, por exemplo, a história remonta o mesmo período porém tem informações de caráter financeiro.

A partir destes dados, é possível compreender também o universo social dos Séculos 18 e 19, já que no local há informações sobre compra e venda de escravos. Por isso, a mudança das moedas ao longo de 300 anos acompanha as diferentes formas de interação humana com o dinheiro.

Por lá você também encontra salas que homenageiam pessoas importantes na história de Minas Gerais, como Cláudio Manoel da Costa e Durval Pereira. Em seu interior, possui um Centro de Estudos do ciclo do ouro e um sala com exposições temporárias de artistas contemporâneos.

melhores museus ouro preto casa dos contos
As janelas coloniais são uma atração à parte – Foto: Antonio Correa CC BY 2.0)

A polêmica “senzala” e seu acervo exclusivo

Não existe comprovação documental de que os porões da Casa dos Contos tenham realmente sido uma senzala. Certamente há vários moradores e guias turísticos que apresentam a parte inferior do casarão como tal, mas há indícios que o espaço tenha sido apenas um quarto de despejo ou despensa.

Ainda assim, o lugar possui um acervo particular – e por isso é o único que não pode ser fotografado durante a visita – com objetos relacionados à escravidão. Por se tratar de um lugar úmido e sombrio, a visita é extremamente desconfortável, mas necessária para a compreensão daquele cenário.

Resumindo, há ali objetos de tortura e utilização de escravos, capitães do mato e até mesmo da elite da época.

A grande restauração em 1984 e o acesso à torre

A Casa dos Contos passou por uma restauração completa no ano de 1984. Como resultado, ampliou sua importância como museu na cidade. Ou seja, durante o processo, pinturas e detalhes arquitetônicos foram encontrados sob forros e camadas grossas de tinta, e hoje podem ser vistos o original destas obras.

Com tombamento pelo IPHAN desde o ano de 1950, a Casa dos Contos possui também um acesso exclusivo ao 3º andar, que funciona como mirante. Dele, é possível ver através de um binóculo a casa onde os inconfidentes teriam se reunido, no outro lado da cidade.

E também há um documento especial que comprova a visita de Dom Pedro II ao local.

decoração casa dos contos ouro preto
Decoração de carnaval ao lado da Casa dos Contos – Foto: Felipe Zig

Horários de funcionamento e acessos

Por esses motivos, a visita à Casa dos Contos se torna imperdível em Ouro Preto. Da Praça Tiradentes, no ponto central da cidade, é uma caminhada de apenas cinco minutos. Mas é preciso levar em conta as muitas ladeiras íngremes da cidade.

É importante citar que devido à estrutura arquitetônica da cidade alguns pontos da casa não possuem acesso facilitado. Portanto, isso dificulta a visitação para pessoas com mobilidade reduzida. Dentre eles, a já citada “senzala” e a torre do casarão. Ainda sobre a torre, a subida é extremamente elevada e deve ser feita com cuidado, principalmente por idosos e crianças.

A Casa dos Contos funciona todos os dias da semana, de 9h às 17h.

As últimas visitas precisam acessar o espaço até 16h. A entrada é gratuita.

Texto feito com a colaboração de Wendell Soares, jornalista e residente em Ouro Preto.