InícioMéxicoCancúnChichén Itzá e a famosa Pirâmide Maia perto de Cancún

Chichén Itzá e a famosa Pirâmide Maia perto de Cancún

Chichén Itzá é a atração preferida de quem visita Cancún. O México é repleto de ruínas pré-colombianas. Diversas civilizações habitaram e dominaram a região antes da chegada dos espanhóis. Por isso, o que não faltam são interessantes sítios arqueológicos no país. Entretanto, nenhum deles é mais famoso e chama mais atenção do que Chichén Itzá!

Leia também: Cancún, Riviera Maya e outros locais para se hospedar

Uma das 7 Maravilhas do Mundo

Chichén Itzá foi reconhecido como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1988. Porém, o que deu fama e reconhecimento internacional ao sítio arqueológico foi a eleição da Pirâmide de Kukulcán, que está dentro do sítio arqueológico, como uma das sete maravilhas do mundo moderno. Esse título ajudou a alavancar o turismo no local, recebendo muitos turistas de Cancún, que se encontra a 200 km de distância.

piramide maia chichen itza
Ruína em Chichen Itzá – Foto Richard Weil (CC BY-SA 2.0)

História de Chichen Itzá

A civilização Maia foi a primeira das Américas a se consolidar como um império, atingindo seu auge no final do século IX. Nesse período seu território se estendia do sul do México, passando por Belize e Guatemala, até o norte de Honduras.

Os Maias tinham um conhecimento muito grande em matemática e astronomia, além de possuírem um sistema completo de escrita. Entretanto, após o século IX, a civilização entrou em declínio.

Os Maias, ao contrário dos Astecas, não possuíam uma capital, mas várias cidades autônomas, que podiam se aliar ou duelarem entre si. Foi, justamente, neste momento que outras cidades entraram em declínio, que Chichén Itzá prosperou.

No período chamado de pós-clássico (900 a 1500), Chichén Itzá foi a principal cidade da civilização. É desse período a maioria das construções que você verá no sítio arqueológico.

Chichen Itzá Cancún

Chichen Itzá é uma das atrações turísticas mais visitadas pelos turistas que estão hospedados em Cancún e na Riviera Maya. Entretanto, as ruínas não ficam próximas da famosa cidade mexicana. Chichen Itzá está a 200 km de Cancún, o trajeto de ônibus leva cerca de 2h40min. Para conhecer os meios de transporte, tipos de excursões fizemos um texto sobre como chegar em Chichén Itzá.

Visita ao sítio arqueológico

O sítio arqueológico de Chichén Itzá é grande, possui 6,5 quilômetros quadrados, porém a maior parte é composta por floresta.

A parte visitada é pequena, diferente de outros sítios arqueológicos Maias como Tikal e Palenque. Como as construções Maias ficam próximas, todo o local é percorrido rapidamente. Em duas horas é possível ver tudo.

Até por isso, as excursões costumam permanecer duas horas por lá, ficando uma hora com o guia e uma hora livre. Por isso, muitas excursões aproveitam para visitar outras atrações, para saber preços e locais visitados clique aqui.

Eu fui por conta própria, tinha o horário livre e fiquei por duas horas e meia no local.

vista aerea chichen itza
Vista aérea do sítio arqueológico – Foto: Dronepicr (Wikipedia) (CC BY 3.0)

Pirâmide de Kukulcán

A principal atração de todo o sítio arqueológico é a Pirâmide de Kukulcán, também conhecida como El Castillo. É o local que mais chama atenção em Chichén Itzá, não apenas por ser uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno, mas também por estar com dois lados muito bem preservados.

A pirâmide era um templo, construído para culto ao deus Kukulcán, que significa serpente emplumada. Um fato interessante é que durante os equinócios de primavera e outono o sol cria a ilusão de uma serpente subindo e descendo as escadas da pirâmide.

O templo foi todo construído pensando-se na astronomia, o que o torna uma espécie de calendário. A pirâmide possui quatro lados, cada um é voltado para um dos pontos cardeais. Cada lado possui exatos 45° de inclinação e 91 degraus. Todos os degraus mais o topo formam o número 365, que é a quantidade de dias do calendário Maia.

Aí, podemos lembrar aquela história que muita gente dizia que o calendário Maia anunciava o fim do mundo em 2012. Como o mundo não acabou, perceberam que o calendário não dizia nada disso. Segundo muitos estudiosos a data representava para os Maias o início de uma nova vida.

Pirâmide de Kukulcán Chichen Itza
Pirâmide de Kukulcán – Chichén Itzá Cancún.

Outras atrações em Chichén Itzá

Dentro de Chichén Itzá existem 16 prédios. Dentre os demais, o que mais chama a atenção é o campo do Jogo de Bola. No grande campo acontecia um jogo com bola, uma espécie de futebol dos povos pré-colombianos.

Os jogos eram levados a sério e havia ocasiões em que o time que perdia era sacrificado em homenagem aos deuses. Um ótimo local onde você ver uma reprodução de como era esse jogo é na Noite Espetacular do Parque Xcaret. Vestidos como os Maias, atores jogam esse jogo, com direito a torcida do público.

jogo pelota maia
Reprodução do jogo de Pelota da Noite Espetacular do Parque Xcaret

Falando em sacrifício, ainda temos o Cenote Sagrado em Chichén Itzá. O local, onde há um grande e profundo poço com água, era utilizado para fazer sacrifício aos deuses. Alguns dos perdedores dos Jogos de Bola podem ter acabado por lá!

Há ainda a Praça das 100 Colunas, o Templo dos Guerreiros e o Caracol, esse último um observatório astronômico.

chichen itza cancun
Praça das 100 Colunas – Foto: Wikipédia CC BY-SA 3.0

Horário de funcionamento

O sítio arqueológico de Chichén Itzá funciona todos os dias das 8h às 17h. Entretanto, a última entrada é às 16h. Devido a pandemia de coronavírus (covid19) há restrições do número de pessoas que podem estar dentro do sítio arqueológico. Para ter mais informações acesse o site do Instituto Nacional de Antropologia e História do México.

Compras em Chichen Itzá

Dentro do sítio arqueológico existem dezenas de barraquinhas vendendo reproduções de esculturas Maias, máscaras, camisas e uma variedade de souvenirs. Esse é um ótimo local para comprar! Existe uma boa variedade de objetos e os preços são muito bons. Vale falar que na parte de dentro há mais opções de pessoas vendendo do que na parte de fora.

piramide cancun
Souvenirs vendido por comerciantes dentro do sítio arqueológico – Foto: CarlosVanVegas (CC BY 2.0)

Chichén Itzá é mais barato que Cancún, mas também mais barato que Oaxaca e San Cristóbal de las Casas. Além disso, achei que no sítio arqueológico havia mais opções de artesanato do que nessas duas outras cidades.

Já a comida em Chichén Itzá é bastante cara! Existe apenas um restaurante e duas lanchonetes e possuem preços altos. Até água é cara!

O que levar para a visita em Chichén Itzá

Chapéu e protetor solar são dois itens importantes para a visita, sobretudo, se ela acontecer na hora que o sol estiver mais forte. A maior parte do sítio arqueológico é de terreno descampado, o que significa que não há muitas sombras.

Seguro viagem para o México

Outra dica importante para a viagem ao México é contratar um seguro viagem. Esse não é um item obrigatório, entretanto é muito recomendado! Serviços médicos não são baratos no país, especialmente na região de Cancún. Por isso, contar com um seguro viagem pode lhe trazer tranquilidade e evitar gastos não programados.

Além dos gastos médicos os seguros oferecem outros serviços como retorno antecipado em caso de problema de saúdo grave no seguro ou em pessoa da família. Além de auxílio e um valor em dinheiro em caso de atraso de extravio ou perda da mala.

Para contratar o seguro, nós indicamos a Seguros Promo, uma plataforma confiável que trabalha apenas com grandes seguradoras, possui ótimos preços e uma ótima ferramenta de comparação entre seguros. Faça já sua cotação.

OUTRAS MATÉRIAS DE CANCÚN

-Baladas, boates e a vida noturna de Cancún

-Cancún é caro? Veja quanto custa uma viagem a Cancún

-Cancún, a cidade bonita, com o mar azul e cheia de resorts

-Onde ficar em Cancún: mar calmo, resort, balada ou custo-benefício?

-Onde ficar em Playa del Carmen: do all inclusive ao barato

Foto de capa: Wikipédia (CC BY 3.0)
Felipe Zighttps://www.abraceomundo.com/
Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui