InícioEgitoCairoCairo, a caótica e interessante capital do Egito

Cairo, a caótica e interessante capital do Egito

Cairo, Egito é uma cidade diferente, podemos até dizer pitoresca. Mas, não é para menos, pois a capital de um país como o Egito, não poderia deixar de ser interessante e inusitada ao mesmo tempo.

Cairo Egito

O Egito é um país de muitos contrastes, que são causados por diferentes fatores como religião, desigualdade social e cultura.

A Cidade do Cairo absorve tudo isso e ainda mescla com o desenvolvimento e o caos de uma grande metrópole. O resultado disso é uma cidade única, que nem sempre agrada ao turista, mas que com certeza o instiga a mergulhar em um microcosmo diferente.

Leia também: Onde ficar no Cairo, conheça as regiões da cidade para se hospedar

guia de cairo egito
Estação Ferroviária Ramses – Cairo Egito – Foto: Mark Fischer (CC BY-SA 2.0)

Cairo é uma grande metrópole de oito milhões de habitantes, por isso não é apenas a maior cidade do Egito, como também a maior cidade da África e do mundo árabe. Isso sem considerar a região metropolitana de Cairo, que possui 24 milhões de habitantes.

Assim, a cidade possui as mesmas dificuldades enfrentadas por toda metrópole, como trânsito e poluição. Só que no Cairo esse problema é muito maior do que você imagina.

O trânsito é completamente caótico e a poluição visível e perturbadora. Porém, antes de aprofundarmos no Cairo atual, falaremos um pouquinho de como a cidade se tornou essa megalópole.

O trânsito de Cairo Egito é caótico – Foto: Simon Matzinger (CC BY 2.0)

História do Cairo Egito

O Egito é o berço de uma das civilizações mais antigas e fascinantes do mundo. Afinal, quem nunca estudou o período faraônico na escola?

Entretanto, ao contrário do que muitos imaginam, Cairo não foi fundada nesse época, mas no século X pelo Califado Fatímida. No século XII, a cidade passou a ser a capital desse califado e foi quando começou a crescer. No século XIV, Cairo possuía uma população de meio milhão de habitantes, sendo a maior cidade a oeste da China.

Leia também: Pirâmides de Gizé, a parte mais turística do Egito 

Cidadela de Cairo, uma das principais atrações turísticas da capital do Egito

No século XVI, a região foi dominada pelo Império Otomano e o Cairo perdeu importância. Depois de várias invasões como a de Napoleão, o Egito ficou independente no século XIX.

Porém, nesse mesmo século houve a ocupação britânica, de 1882 a 1952. Durante esse período, a população cresceu consideravelmente, de 350 mil habitantes para 1,3 milhão. Entretanto, o maior crescimento aconteceu após a fundação da República Egípcia, em 1952. Cairo, que já era o centro comercial, se tornou também um polo industrial.

Hoje em dia, a cidade não é apenas um centro econômico, mas cultural. Muitas pessoas consideram Cairo a capital cultural do mundo árabe.

grupo de dança egípcia Al-Tannoura Egyptian Heritage
Al-Tannoura Dance Troupe, uma atração cultural de Cairo Egito – Foto: Nadia Ismail (CC BY-NC 2.0)

Cultura do Egito em Cairo

Para vivenciar a cultura do Cairo você não precisará de grande esforço. Apenas andar pelas ruas do centro e se perder pelas inúmeras ruas do Bazar Khan el Khalili, já é suficiente para sentir o clima da cidade.

De repente, você pode se surpreender com noivos passando pelas ruas e seus amigos gritando como na novela “Caminho das Índias”. Ou então, observar e tentar entender as roupas tradicionais masculinas que parecem pijamas.

Para quem deseja ter uma visão mais política, pode conversar com os locais e descobrir seus pontos de vistas e visões sobre a Primavera Árabe, sobretudo porque eles acreditam que é um movimento que ainda dará mais frutos.

noivos egpcios passeando por cairo
Cena que presenciamos, noivos passeando pelo Bazar Khan al Khalili

Não digo que o clima será sempre agradável, muito menos que as ruas serão bonitas ou limpas, contudo, é uma cultura interessante de se apreciar. Sobretudo para o turista mais observador, já que a essência cultural estará meio perdida entre a ocidentalização e o cosmopolitismo da cidade.

detalhes de Mesquita de cairo
A arquitetura histórica do Cairo Egito é muito interessante – Foto: Procsilas Moscas (CC BY 2.0)

Culinária egípcia

Não podemos deixar de falar da parte gastronômica. O Egito possui uma culinária interessante e você encontrará quase todos os pratos típicos no Cairo.

A cidade é um ótimo local para você experimentar novos paladares. Principalmente, porque o Egito é barato e você pode comer bem gastando pouco.

Se destacam entre os pratos típicos o Koshary, uma mistura de arroz com lentilhas, macarrão, grão de bico e molho de tomate.

Esse é o prato mais típico do país e também o mais barato. Não é vendido em qualquer restaurante e nos restaurantes que o vendem, costumam vender só isso! Paguei R$2,00 no prato médio de Koshary no Restaurante El Tahrir, próximo a Praça Tahrir.

culinária do egito Koshary
Koshary do Restaurante El Tahrir, um prato barato e muito saboroso da culinária egípcia

Clima e quando viajar a Cairo

Algumas pessoas acreditam que o clima desértico faz da Cidade do Cairo um local onde é verão o ano inteiro. Entretanto, a cidade possui estações bem definidas que muda o clima e a quantidade de turistas na cidade.

Verão

Ao contrário do sul do Egito, Cairo não é uma cidade tão quente. No verão, que vai de junho a setembro, as temperaturas passam dos 30°C, podendo chegar a 45ºC. Essa é uma estação seca, há poucas chuvas, por isso a umidade do ar é mais baixo o que ajuda a amenizar a sensação térmica.

Como a maioria dos turistas não quer passar o verão em uma região de clima desértico, essa época é menos turística. O que significa atrações menos cheias e bons preços de hotéis.

Entretanto, durante o ramadã, mês sagrado dos muçulmanos, os hotéis ficam cheios e há várias restrições. Verifique a data antes de marcar a viagem, já que não é uma data fixa.

Inverno

Já no inverno, as temperaturas são mais amenas e pode até fazer frio. A temperatura varia muito ao longo do dia; no inverno ela pode variar de 23°C durante o dia até 10°C durante a noite.

Devido ao clima, essa é a estação preferida da maioria dos turistas, o que torna o inverno a alta temporada de Cairo. Neste período a capital do Egito fica cheia de turistas, isso significa hotéis mais caros e filas maiores nas atrações turísticas.

O inverno é a época que mais chove no ano. Entretanto, para o clima desértico de Cairo, isso significa pouquíssimos dias de chuva.

Se viajar nesse período, não esqueça de reservar seu hotel com maior antecedência. Veja nosso guia de bairros e hotéis em Cairo.

Primavera e Outono

Muita gente considera essa a melhor época para viajar a Cairo Egito. O clima é mais ameno, não é tão quente quanto o verão.

Outra vantagem é que nesse período você não encontrará multidões de turistas como no inverno. Por isso, você pegará menos filas e encontrará melhores preços de hotéis.

Cairo vista da Cidadela

Pontos turísticos de Cairo

Cairo possui várias atrações turísticas. A mais famosa de todas são as pirâmides de Gizé. O Museu Egípcio, onde estão as relíquias dos tempos dos faraós, é outra atração muito famosa e visitada da cidade.

A cidade ainda conta com mercados, mesquitas e a cidadela de Cairo. Para poder aprofundar esse assunto, fizemos um texto específico sobre o que fazer no Cairo, com os principais pontos turísticos da cidade.

Trânsito e transporte em Cairo

Um dos aspectos que mais chama a atenção dos turistas no Cairo é o trânsito. O trânsito no Egito, como um todo, é bem ruim, entretanto, no Cairo é ainda pior!

A capital do Egito é uma metrópole de 8 milhões de habitantes e a região metropolitana do Cairo possui uma população de 24 milhões de habitantes. Então, você já deve imaginar que as ruas da cidade possuem veículos em excesso.

transito engarrafado de cairo egito
Tráfego em um dia muito ruim em Cairo Egito – Foto: walidhassanein (CC BY-NC-ND 2.0)

Essa grande quantidade de carros e um transporte público deficitário causaria trânsito caótico em qualquer lugar do mundo. Porém, o problema do Cairo é ainda maior, pois o trânsito é engarrafado, caótico, barulhento e lento.

Me lembra um pouco o trânsito de Ho Chi Minh, no Vietnã. Entretanto, na cidade asiática o trânsito é mais silencioso e mais perigoso, já que a maior parte dos veículos são motos. Se você se interessou por esse assunto e quer saber mais, leia o texto: O caótico e maluco trânsito da cidade de Ho Chi Minh.

Muito barulho

Voltando a falar do Cairo, um dos aspectos chatos do trânsito é o barulho. Os motoristas buzinam o tempo todo. Você não perceberá, mas pode perguntar a um motorista sobre as diferentes formas que eles buzinam e os distintos significados de cada uma. Você não acreditará na variação de sons e significados.

Semáforos não são respeitados

Os semáforos servem mais para enfeites; ninguém os respeita, com exceção em alguns poucos cruzamentos. O que torna a simples tarefa de atravessar uma avenida uma aventura e tanto. Na região da Praça Tahrir e do Museu Egípcio tenha bastante cuidado para atravessar as ruas, porque o fluxo de carros é muito grande.

Até por isso, é bom viajar com Seguro Viagem. Qualquer problema que ocorrer, você estará seguro. Apesar do Egito ser um país barato, gastos médicos não são baratos no país. O seguro viagem ainda lhe dá indenização em caso de perda ou extravio de mala, retorno antecipado em caso de doença do segurado ou da família, além de vários outros benefícios. Faça uma cotação clicando aqui e veja valores e tudo que está incluído.

avenida de cairo
Cairo Egito e uma das pirâmides de Gizé – Foto: Kyle Taylor (CC BY 2.0)

Não alugue um carro

Já deu para perceber que o trânsito da cidade é maluco, por isso não é uma boa opção você dirigir. Muitos turistas gostam de alugar um carro e ter mais independência para andar pela cidade.

Porém, no Cairo não vale a pena dirigir, se você não está acostumado com o trânsito da cidade. Para você ter uma ideia, até quando você fecha um tour privado em um carro, vai um guia e um motorista. Não é o próprio guia quem dirige.

Não pegue um Tuk Tuk

No meio dessa confusão toda, não é de se estranhar que existam tuk tuks na cidade. Mas, eles não podem andar livremente por qualquer lugar, apenas dentro de alguns bairros, como no bairro islâmico.

Um dia, eu iria andando até a Cidadela (Citadel) desde o centro, mas achei meio longe e resolvi pegar um tuk tuk no meio do caminho. Então, fui negociar a corrida e apenas um menino falava inglês, por isso negociei com ele.

Para minha surpresa, ele mesmo (um menino de 12 anos) senta na direção e começa a dirigir. O menino era louco e atravessava na frente de um monte de carro. E, quando chegou lá, ainda descobrimos que os tuk tuks não tem autorização para chegar até aquela parte. Um policial deu uma bronca nos meninos, era um piloto e um co-piloto.

No dia seguinte, fizemos um tour guiado e o guia nos falou de crianças dirigirem os tuk tuks. Por isso, uma outra dica é não pegar um tuk tuk.

Tuk-tuk em cairo
Tuk Tuk no bairro Islâmico de Cairo

Metrô de Cairo é uma boa opção

Nem tudo sobre o transporte da cidade é ruim, pois Cairo possui o único metrô do continente africano. Apesar de não ser um metrô tão extenso, é rápido, eficiente e muito barato.

Como ele não percorre a cidade inteira, nem sempre será útil ao seu trajeto, entretanto se houver uma estação de metrô próxima aonde você está indo, essa pode ser uma boa opção.

Principalmente, para poupar tempo já que em alguns horários o trânsito é muito lento. É possível utilizar o metrô para chegar próximo às pirâmide de Gizé.

metro de cairo
Metrô de Cairo, uma boa opção para fugir do trânsito – Foto: Andrew A. Shenouda (CC BY 2.0)

Táxi: baratos, mas oportunistas

Os táxis no Egito como um todo são muito baratos. O único problema é que eles sempre tentam ganhar mais dinheiro dos turistas estrangeiros.

Os táxis no Cairo possuem taxímetro. Mas, muitos motoristas se recusam a utilizá-lo ao transportar um turista estrangeiro.

Sempre combine o preço antes da corrida, porque caso não combine, o taxista poderá cobrar o valor que quiser. Mesmo combinando um preço antes, quando chega no local, o taxista lhe pede mais, argumentando que demorou mais do que ele imaginava ou que o valor era muito baixo. Isso aconteceu comigo duas vezes. Paguei o valor combinado e fui embora.

Por isso, é sempre importante você ter dinheiro trocado. Alguns dizem que não tem troco apenas para você deixar uma nota mais alta. Também já escutei relatos de turistas dizendo que o taxista se recusou a dar o troco.

Para saber mais, leia o texto que fizemos sobre os golpes mais comuns contra turistas no Egito.

taxi padrão de cairo egito
Táxi de Cairo Egito – Foto: rocor (CC BY-NC 2.0)

Os taxistas falam muito pouco inglês, apenas algumas palavras. Eles tem uma dificuldade especial em falar fifteen (15) e fifty (50). Sempre tinha dúvidas se eles estavam se referindo a 15 ou 50. Por isso, é bom até escrever o valor, para não ter dúvida.

Feriados e sextas-feiras, dias de pouco trânsito

Nos países muçulmanos, o dia de descanso semanal é a sexta-feira, equivalente ao nosso domingo. Esse é um bom dia para você fazer o tour às Pirâmides de Gizé, Pirâmides de Saqqara e Memphis.

Nós fizemos esse tour em uma terça-feira, que nem sabíamos que era feriado nacional. Como o trânsito era menor, chegamos 30 minutos mais rápido, segundo o guia. Usamos esse tempo para aproveitarmos mais nas atrações.

homem andando no bagageiro de carro egito
Se vê de tudo no trânsito de Cairo Egito – Foto: Doug Lawrence (CC BY 2.0)

Saia com antecedência

Quando você for para o aeroporto ou para algum outro compromisso que não possa atrasar, saia com antecedência. Às vezes o trânsito é mais lento, às vezes mais rápido, mas para evitar qualquer imprevisto é preferível sair com boa antecedência.

Leia também nossas outras matérias sobre o Egito:

-Conheça os principais destinos turísticos do Egito

-Egito, conheça os golpes mais comuns contra turistas

-Como ir às Pirâmides de Gizé: por conta própria ou tour

-Passeio de Camelo nas Pirâmides do Egito, cuidado com os golpes

-Sharm el-Sheikh: a Cancún do Oriente Médio

Foto de capa: Maher Najm (CC BY 2.0)
Felipe Zighttps://www.abraceomundo.com/
Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui