InícioEgitoCairoPirâmides do Egito: história, como chegar em Gizé e dicas de visitação

Pirâmides do Egito: história, como chegar em Gizé e dicas de visitação

Se existe um lugar no planeta que qualquer pessoa já teve vontade de conhecer, são as famosas pirâmides do Egito. Não é para menos, essa é a única das sete maravilhas do mundo antigo que ainda existe. A incrível obra, construída há quatro mil anos atrás, sempre fascinou os homens por sua imponência.

O sítio arqueológico, muito procurado por turistas no Egito, possui algumas particularidades e dicas importantes. Mas, antes de falar um pouco mais sobre como é a visita às pirâmides, vamos contar um pouco de sua história.

História das Pirâmides do Egito

As pirâmides do Egito ou pirâmides de Gizé, local onde estão situadas, foram construídas há 2.500 anos a.C. Ao contrário do que muitos acreditam, as pirâmides do Egito não foram construídas para serem templos, mas sim túmulos dos faraós. Isso quer dizer que os locais receberam sarcófagos, pertences e múmia dos faraós e seus familiares.

As pirâmides de Gizé foram construídas durante o Império Antigo, época em que a capital era Mênfis, cidade próxima a Gizé e Cairo. Estima-se que cerca de 100 mil homens foram utilizados para construir as pirâmides, já que os blocos de pedras eram enormes e extremamente pesados.

O nosso guia nos disse, inclusive, que há quem acredite que existia água próximo ao local da obra e os blocos de pedras eram trazidos por barcos. Alguns blocos são quase do tamanho de uma pessoa, veja a foto abaixo.

Leia também: Cairo, a caótica e interessante capital do Egito 

grandes blocos de pedra das piramides
Blocos de pedra das pirâmides do Egito

Pirâmides de Gizé: Quéops, Quéfren e Miquerinos

No sítio arqueológico existem três grandes pirâmides e outras pequenas. As três maiores foram construídas para serem os túmulos dos faraós: Quéops, Quéfren e Miquerinos, que eram pai, filho e neto.

Pirâmide Quéops

A pirâmide de Quéops foi a primeira a ser construída e é a maior de todas. Possui 137 metros de altura e demorou 20 anos para ser edificada. Essa pirâmide é uma das Maravilhas do Mundo Antigo; não eram as três pirâmides juntas, mas apenas essa.

Ela possuía um revestimento que cobria sua lateral, deixando-a lisa. Entretanto, infelizmente, esse revestimento já não existe mais.

Mais próxima da entrada do sítio arqueológico, essa é a pirâmide mais cheia. Você verá dezenas de turistas ao seu redor. Apesar de ser a maior, ou seja, mais larga, essa é a pirâmide que as pessoas mais dão a volta ao seu redor.

Pirâmide de Queóps Gizé Egito
Pirâmide Queóps, a maior das pirâmides de Gizá

Pirâmide Quéfren

A pirâmide de Quéfren é a do meio e a segunda maior. Porém, olhando para ela se tem a impressão de que é maior do que a de Quéops. Isso é devido a dois motivos: o primeiro, é que ela está em uma região um pouco mais alta que a de Quéops e a segunda, é que ela é mais estreita, por isso, seu grau de inclinação é maior.

Um fator interessante da Pirâmide de Quéfren é que ela mantém seu revestimento de pedras original na parte superior.

Essa pirâmide é menos visitada que sua vizinha. O lado que está virado para Quéops é o mais cheio. Entretanto, o lado oposto, virado para Miquerinos é vazio, local ótimo para tirar fotografias sem aparecer ninguém atrás, algo impossível na pirâmide de Quéops. No final desse texto damos dicas dos melhores locais para fotografar as pirâmides do Egito.

Pirâmide de Quéfren Gizé Egito
Pirâmide Quéfren

Pirâmide Miquerinos

Miquerinos é a menor das três pirâmides de Gizé. É muito menor que as outras duas, possui apenas 64 metros de altura. A pirâmide possui uma parte do revestimento exterior. O revestimento é parcial, porque Miquerinos reinou por pouco tempo e não foi possível completar a obra.

Um diferencial da pirâmide de Miquerinos é que era a única pirâmide possível de entrar em seu interior. Quando visitei, apenas ela estava aberta. Posteriormente, vi que as outras pirâmides estavam permitindo a visitação. Mas, essa é uma informação que está sempre mudando.

Queria ter entrado no interior de uma pirâmide de Gizé, não fui porque quando cheguei já havia fechado. Mas, dizem que não é tão interessante, pois não tem nada dentro, tudo que tinha lá foi levado para museus e ainda você precisará andar curvado, já que o teto é muito baixo. Porém, caso você tenha interesse em entrar dentro de uma pirâmide, saiba que apenas nessa é possível.

Leia também: Passeio de Camelo nas Pirâmides do Egito, cuidado com os golpes

Pirâmide Miquerinos, a menor das Pirâmides de Gizé

Esfinge

Não podemos deixar de falar da famosa esfinge, que é aquela imagem com o corpo de leão e a cabeça humana. Esfinges eram muito comuns no Egito Antigo. Em Tebas, atual Luxor, havia uma grande avenida que era ladeada por dezenas de esfinges; hoje sobrou apenas uma parte da avenida. Entretanto, a maior parte das esfinges eram pequenas, pois não era comum fazer esfinges grandes.

Segundo o nosso guia, ainda existem muitas dúvidas sobre como e quando foi construída a esfinge. Hoje, acredita-se que a esfinge é a representação do faraó Quéfren, por isso ela fica a frente de sua pirâmide.

esfinge de gizé egito
Esfinge ajuda a compor o cenário com as pirâmides do Egito – Foto: askii (CC BY-SA 2.0)

A esfinge chama a atenção mais por seu tamanho do que por sua beleza, já que ela está bem deteriorada. Ela possui 20 metros de altura e 73 metros de comprimento.

A maioria dos turistas fotografam na lateral, pois é o local mais próximo que se pode chegar. Por isso, existe uma grande quantidade de pessoas fazendo poses beijando a esfinge. Porém, na frente dela, apesar de não ser tão próximo e possuir uma parede, também é um local legal para fotografar, já que se tem uma boa visão dela, com as pirâmides ao fundo.

Horário de funcionamento das Pirâmides do Egito

Um aspecto que você precisa tomar bastante cuidado é com o horário de funcionamento das pirâmides, porque essa não é uma informação fácil de se encontrar na internet. Eu mesmo fui um dia nas pirâmides um pouco antes de fechar. Lá, os policiais já não deixam ir em alguns locais um pouco antes de fechar e quando dá a hora já vão orientando todo mundo a se dirigir em direção à saída.

Não encontrei nenhum site oficial que informasse o horário. Quando fui, no verão, o horário de funcionamento era das 8:00 às 16:00 horas.

Leia também: Onde ficar no Cairo, conheça as regiões da cidade 

Ingresso

O ingresso para entrar no sítio arqueológico é muito barato. Custa $200 EGP, Libras Egípcias, cerca de R$60; estudantes pagam meia. Preços de 2020.

Dicas de visitação

  • Quase não existem sombras no sítio arqueológico das pirâmides, por isso é necessário levar boné ou chapéu e passar bastante protetor solar.
  • Falta estrutura no sítio arqueológico. Não vi banheiros lá dentro; quando entrei na portaria, quis ir ao banheiro e o guia pediu para eu ir no banheiro que parecia dos funcionários e que estava completamente sujo. Então, recomendo ir ao banheiro antes de entrar no sítio arqueológico.
  • Tudo lá dentro é caro, inclusive água. Além disso, não existe lanchonete. Porém, no lado de fora, próximo a entrada, existem mercearias que vendem bebidas a um bom preço. Também tem uma Pizza Hut em frente a entrada apenas de pedestres. Minha dica é levar água e um lanchinho.
  • Se precisar que alguém tire uma foto para você, peça para um turista, pois se um nativo for tirar a foto, ele, provavelmente, lhe pedirá uma gorjeta por isso.

Como conhecer as Pirâmides de Gizé?

As pirâmides de Gizé são a principal atração turística do Egito. Muita gente visita o país apenas para ver essas magníficas obras faraônicas. E uma dúvida muito recorrente é como fazer a visita: por conta própria ou tour. Eu fiz das duas maneiras e conto agora para você as vantagens e desvantagens de cada uma.

 

Há uma via pavimentada próximo às pirâmides do Egito – Foto: Hugh Fiske (CC BY-NC-ND 2.0)

Tour – excvursão

A maneira mais prática de visitar as pirâmides é através de um tour. Ao redor da Praça Tahrir existem várias agências de turismo. Todas oferecem tour às Pirâmides de Gizé. Entrei em pelo menos seis agências e o que achei mais curioso é que nenhuma delas oferecia tours em grupos. Havia apenas tours privados.

Todas as empresas ofereciam serviços semelhantes, que inclui o transporte em carro privado, um motorista e o guia; o que varia é o preço. Os ingressos podem ou não estar incluídos no preço, mas eles são baratos.Os tours não vão apenas às Pirâmides de Gizé, mas também ao Museu de Memphis e às Pirâmides de Saqqara. Até o cronograma é o mesmo: primeiro vai à Memphis, depois à Saqqara e por último às Pirâmides de Gizé.

Existem guias que falam várias línguas, inclusive espanhol e português. Algumas agências cobram mais pelos guias que falam línguas diferentes do inglês e outras cobram o mesmo preço. A Get Your Guide oferece esse tour com guia falando português. Para ver todos os tours oferecidos pela empresa clique aqui.

Estátua de ramsés no Museu de Memphis
Museu de Memphis
Pirâmide em degraus de Saqqara Egito
Pirâmide de Saqqara

Fechamos o tour em uma agência que cobrou o mesmo preço pelo guia que falava português, que na verdade falava um portunhol, mas dava para entender. Pagamos $500 EGP pelo tour, que tem preço único independente do número de pessoas (uma a três) e os ingressos não estavam incluídos.

Visita às “fábricas”

Agora vamos falar o que ninguém fala para você. Além dessas três atrações, existem mais duas paradas, em uma fábrica de papiros e outra de tapetes.

Eles explicam como são feitos os produtos, o que não deixa de ser interessante. Porém, o intuito principal deles é vender suas mercadorias.

Esses são locais que você pode comprar sem medo de levar algo falsificado; se falam que o tapete é de seda, realmente, é de seda. O problema é que os preços são muito superiores aos de qualquer outra loja; no mínimo, 100% mais caros, podendo chegar a 400%.

Além disso, os vendedores são muito insistentes; por isso é melhor não perguntar preço de nada, nem se interessar por nenhum produto. Os preços são tão caros, porque a agência de turismo leva uma parte do que você comprar. Para conhecer mais sobre as fraldas fizemos um texto sobre os golpes mais comuns contra turistas no Egito.

fábrica de papiro egito
Fábrica (loja) de papiro

Passeio de camelo, cavalo e charrete

O maior problema é com relação às Pirâmides de Gizé. Existem duas entradas para as pirâmides: uma que se entra de carro e pode-se chegar próximo às pirâmides, inclusive a de Miquerinos que é a mais longe, e uma outra que só se entra a pé.

A nossa agência de turismo nos deixou na entrada que se entra a pé, para que pagássemos um passeio de camelo, cavalo ou charrete. A agência nos levou à empresa que faz esses passeios em animais, antes de entrarmos nas pirâmides. Lá, eles dizem que é necessário fazer o passeio em algum animal, porque tudo é muito longe.

Há três trajetos: um pequeno, um médio e um grande; sendo que o pequeno custa US$25 por pessoa, o que seria cerca de três vezes a mais o valor que é cobrado lá dentro.

Quem não sabe as distâncias acaba pagando para andar menos de um quilômetro. Uma pessoa nos disse que a empresa de turismo fica com a metade do valor pago.

O nosso guia nos disse que quando ele trabalha autônomo, entra de carro no sítio arqueológico das pirâmides de Gizé, o que poupa tempo e esforço. Mas, a empresa de turismo que determinava onde entraria. Para saber mais leia: Passeio de Camelo nas Pirâmides do Egito, cuidado com os golpes.

Charrete nas pirÂmides de gizé egito
Passeio de charrete também são oferecidos nas pirâmides do Egito – Foto: Romel Jacinto (CC BY-NC-ND 2.0)

Por isso, se for fazer o tour, certifique-se que o carro entrará dentro do complexo das pirâmides. Com certeza essa opção será mais cara, mas valerá a pena. Um outro guia nos disse que os tours mais baratos que tem isso de parar em fábricas e não entrar de carro nas pirâmides. Contudo, tenho minhas dúvidas se nos tours mais caros isso também não acontece.

Vantagens do tour

As vantagens são que além de conhecer as pirâmides, você também vai à Memphis e à Saqqara e conta com a explicação do guia. Ainda tem a comodidade de lhe buscar e lhe deixar no hotel.

Desvantagens do tour

É mais caro e tem tempo limitado em cada lugar. Você não poderá ficar o tempo que quiser nas pirâmides.

Visitar as pirâmides por conta própria

As famosas pirâmides do Egito ficam na cidade de Gizé, a 13 km do centro do Cairo. A distância é pequena, mas como o trânsito de Cairo é muito ruim, pode levar mais de uma hora o trajeto. Não recomendo você alugar um carro e dirigir até lá, porque o trânsito do Egito é muito caótico e maluco. Então, sobram duas opções: táxi ou transporte público.

Táxi

Caso queira ir de táxi, combine direitinho o valor da corrida, porque no Egito é comum você combinar um preço com o taxista e depois ele querer um valor maior. Para saber mais sobre esse assunto leia O trânsito maluco do Cairo e as dicas de transporte.

avenida de cairo
O trânsito em Cairo e Gizé é bastante caótico – Foto: Kyle Taylor (CC BY 2.0)

Metrô

Recomendo ir de metrô! O metrô não vai até as pirâmides, mas chega até Gizé, o que já seria quase metade do caminho. Além disso, o metrô é muito mais rápido, principalmente, no horário de rush, em que ele pode levar menos da metade do tempo de um carro.

Existem estações de metrô em várias partes da cidade do Cairo, inclusive na Praça Tahrir. Você precisa pegar a linha 2 do metrô, o ticket custa $5 EGP (R$1,60), e descer na estação El-Giza.

Lá, ainda está longe das pirâmides, cerca de 8 km. Então, você pode pegar um táxi ou um ônibus. Pegamos uma van, já que uns estudantes egípcios nos ajudaram, porém não é fácil, porque não há numeração e os motoristas não falam inglês.

A van nos deixou a dois quarteirões das pirâmides, mas em um local em que não era possível vê-las.

Ônibus

Existem ônibus com ar-condicionado que também vão até as pirâmides, o 355 e o 357. Eles passam pelo aeroporto, Heliópolis e também na Praça Tahrir. Não sei o valor e nem os horários. Será necessário perguntar no hotel. Essa opção sairá mais cara do que o metrô + táxi, porém é também mais cômoda.

Vantagens de ir por conta própria

É mais barato, você pode escolher o horário que quer ir, evitando os horários mais cheios, e pode ficar o tempo que quiser.

Desvantagens de ir por conta própria

Você não terá um guia, pois no Egito não é comum guias se oferecerem na entrada das atrações turísticas. Não há a comodidade do tour.

Pirâmides do Egito: descubra os melhores locais para fotografar

Visitar uma famosa atração turística já é algo incrível. Entretanto, a maioria das pessoas não se contenta apenas com isso, pois é necessário tirar uma boa foto para poder eternizar o momento. Por isso, vamos dar algumas dicas sobre onde fotografar nas pirâmides do Egito.

A primeira dica é que as pirâmides de Gizé são muito grandes, então você precisará ficar a uma certa distância delas caso queira pegá-las por completo. Essa distância depende da lente da sua câmera. Mas, isso não será menos do que 30 metros, a não ser se você estiver com uma lente olho de peixe. Isso significa que existe grande chance de pegar pessoas no fundo. Por isso, o local onde fotografar faz bastante diferença já que há locais mais vazios.

foto nas piramides do egito
Pirâmide de Queóps com uma rua asfaltada ao redor

A maior pirâmide é a de Quéops. Por ser a Maravilha do Mundo Antigo e por estar mais próxima da entrada, Quéops é a pirâmide mais cheia e visitada. Dificilmente você conseguirá fotografar a pirâmide por completo sem pegar ninguém ao fundo.

Além disso, há uma “rua” asfaltada passando ao lado da pirâmide. Quem entra de carro no sítio arqueológico passa por esse local. Por isso, ainda tem o fato de precisar esperar um momento que não passe nenhum veículo.

A pirâmide de Quéfren é a do meio e é mais vazia. Seu lado que está virado para Quéops é mais cheio, já o que está virado para Miquerinos é bem vazio, ótimo lugar para fotografar sem pegar ninguém no fundo.

Veja aqui tour às pirâmides de Gizé com guia em português.

pose divertida na Pirâmide de Quéfren
Pirâmide de Quéfren, lado virado a Miquerinos

Já Miquerinos é a menor pirâmide, possui um terço do tamanho das outras. Ela também não é cheia e como é pequena, é bem fácil dar a volta e fotografar do outro lado. Entretanto, ela é menos atraente visualmente, que as outras duas.

Melhor local para fotografar as pirâmides do Egito

Não sei se você já viu uma foto aérea, mas as pirâmides ficam muito próximas da cidade de Gizé. Quéops, que é a mais próxima, está a cerca de 250 metros da cidade. Por isso, dependendo da posição que você estiver, verá a cidade no fundo.

Já, se estiver de costas para a cidade, próximo a entrada do complexo,  você verá as três pirâmides e a esfinge (veja a foto abaixo). Apesar de conseguir enquadrar todos os elementos, esse não é o melhor local para fotografar, já que é muito urbanizado, sendo possível ver uma rua e a calçada.

Pirêmides de Quéops, Quéfren e da Esfinge
Vista das Pirêmides de Quéops, Quéfren e da Esfinge

O melhor local para fotografar é onde os nativos chamam de deserto do Saara, um pedaço de deserto próximo às pirâmides e a cidade.

Essa parte de deserto fica depois da pirâmide de Miquerinos e é o local mais rústico, sem sinais de estruturas da modernidade. Por isso, é o local onde se consegue as melhores fotos.

local ideial de fotografar as piramides
Deserto do Saara com as 3 pirâmides ao fundo

Desse local se tem aquela famosa vista das três pirâmides e sem pegar a cidade ao fundo. É possível chegar de carro até essa parte, ou seja, há uma estrada e muitos turistas.

Entretanto, se andar um pouco em direção ao deserto, o local fica mais vazio e você só verá areia ao seu redor. Como o local é bem extenso, mesmo se tiver pessoas próximas, você pode andar um pouco mais para elas não aparecerem no enquadramento da foto.

As principais fotos que você já viu das pirâmides são tiradas desse local. Muita gente aluga um camelo para chegar até lá, inclusive os donos de camelos dizem que é muito longe, que não é possível ir andando, porém é possível sim! Para saber mais leia n osso texto sobre os passeio de camelo nas pirâmides.

Melhores horários para fotografar

No começo da manhã e no final da tarde a luz está melhor para fotografar e o local está mais vazio. Esses horários são interessantes para visitar as pirâmides, principalmente se estiver na alta temporada (dezembro a fevereiro), pois é no inverno que Cairo fica mais cheio e as pirâmides entupidas de gente.

Já na baixa temporada (maio a setembro), Cairo está mais vazio e será mais fácil fotografar em horários de pico. Entretanto, o calor será escaldante. Como você estará, literalmente, no deserto, cuidado para não desidratar. Aproveitamos para lembrar de contratar o seguro viagem, um item que lhe dará segurança para viajar tranquilo.

pose divertida nas piramides
Uma das poses mais populares entre os turistas nas pirâmides do Egito

Outras dicas além das pirâmides

Agora que você já conhece tudo sobre as pirâmides do Egito, vale a pena conhecer as outras atrações da cidade para descobrir o que fazer em Cairo.

Uma informação que muita gente não sabe é que a cidade possui limitações na sua rede hoteleira, há muitos hotéis mal conservados e serviços ruins. Por isso, vale a pena escolher com cuidado onde se hospedar. Para lhe ajudar na escolha, temos um texto sobre onde ficar em Cairo, onde damos as dicas sobre hospedagens e indicamos alguns hotéis.

Uma outra dica importante é referente ao seguro viagem. Esse não é um item obrigatório em uma viagem ao Egito, porém é muito indicado. O sul do país tem algumas limitações com higiene, por isso não coma em qualquer lugar e é sensato contratar um seguro viagem para qualquer problema que por ventura possa ocorrer. Para saber preços e melhores opções, faça agora uma cotação.

Um outro item que muita gente contrata é o chip internacional. Ele não funciona tão bem no Egito, porém é um item que sempre ajuda. Para saber mais, conhecer vantagens, desvantagens e preços, leia nosso tema sobre chip internacional.

Foto de capa: Hugh Fiske (CC BY-NC-ND 2.0)
Felipe Zighttps://www.abraceomundo.com/
Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

2 COMENTÁRIOS

  1. Oi. Muito legal seu texto. Adorei as dicas sobre onde fazer as fotos. Posso deixar uma dica? Vocês poderiam fazer uma mapa – o Google tem uma ferramenta gratuita que se chama My Mapas para fazer mais pessoais. No mapa marcar os locais sugeridos para fotos e colocar aqui nessa postagem.

    Um grande abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui