InícioMéxicoCidade do MéxicoBosque de Chapultepec: castelo, áreas verdes e vários museus

Bosque de Chapultepec: castelo, áreas verdes e vários museus

Um dos principais pontos turísticos da Cidade do México é o Bosque de Chapultepec. O imenso parque possui uma grande área verde, vários museus e um castelo. O local, que encanta tanto os habitantes da cidade quanto os turistas, é grande, bonito e precisa de algumas dicas para melhor aproveitá-lo.

Chapultepec que é conhecido como um bosque é, na verdade, um grande parque de 686 hectares. Como fica em uma região central da cidade, a apenas 6 km do centro e ao lado dos bairros Polanco e Condesa, desempenha um importante papel ecológico para a cidade. Chapultepec representa 52% da área verde da Cidade do México. Uma cidade de 8,5 milhões de habitantes deveria ter mais abundância de áreas verdes, mas como não tem, o bosque faz um enorme sucesso entre os habitantes da capital. Segundo a administração do parque, o bosque recebe 18 milhões de pessoas por ano e cerca de 200 mil por final de semana.

Toda essa fama não é apenas por causa da área verde, pois os museus que ficam dentro do bosque são responsáveis por parte do sucesso dele, principalmente em relação aos turistas. Mesmo recebendo essa grande quantidade de pessoas, o bosque se mantém organizado e bem conservado. O orçamento do parque é alto, isso em parte ao patrocínio de empresas.

Leia também: O que fazer na Cidade do México, conheça os 12 principais pontos turísticos

O Altar da Pátria

Áreas verdes

As áreas verdes do bosque são uma ilha de tranquilidade no meio da agitada e caótica capital mexicana. Quando falamos de áreas verdes, existem desde gramados, passando por jardins, até locais mais densamente arborizados. No parque vivem alguns tipos de animais, mas os que chamam mais atenção são os esquilos. Você pode encontrar uma grande quantidade deles pelo bosque e os esquilos, inclusive, se aproximam das pessoas.

Quando fui havia um homem que ganhava uns trocados das pessoas ao trazer os bichos para perto delas, colocando os esquilos em seus ombros. Sua técnica era muito simples, pois só colocava amendoins em cima das pessoas.

Leia também: Onde ficar na Cidade do México, veja os melhores bairros

Esquilos no Bosque Chapultepec

Nas áreas verdes do parque também é possível fazer atividades físicas; existem pessoas caminhando e andando de bicicleta.

Bosque Chapultepec – Foto: Wikipédia

Castelo de Chapultepec

No ponto mais alto do bosque, chamado de Colina de Chapultepec, encontra-se um castelo. O local possui história e já era importante para as civilizações pré-colombianas. Os astecas acreditavam que existiam duas entradas para o inferno, uma na cidade de Mitla, em Oaxaca, e outra em uma caverna na colina de Chapultepec. E, foi no alto desta mesma colina o local escolhido pelos espanhóis para a construção de uma casa de campo para o vice-rei regional, no século XVIII. Entretanto, o local já teve várias funções, como academia militar, palácio presidencial e observatório astronômico.

Atualmente, o local é um museu. Contando a história desde a colonização espanhola até a Revolução Mexicana em 1910, o Museu de História Nacional é uma referência para os mexicanos. Porém, não é tão interessante para os turistas já que parte do pressuposto de que já se conhece a história mexicana.

Castelo de Chapultepec – Foto: Wikipédia

Vitrais no Castelo de Chapultepec

A parte mais interessante do museu são os aposentos do Imperador Maximiliano I. Em 1963, ele deu uma reformulação ao castelo, deixando-o como sua residência oficial. Por isso, é possível visitar os requintados aposentos imperiais, com mobília original e rica decoração.

Aposentos reais do Castelo de Chapultepec – Foto: Wikipédia

Não podemos deixar de falar que do alto da colina se pode ter uma bela vista da cidade! Para saber mais informações como horário de visita e valor de entrada acesse o site oficial do museu clicando aqui.

Leia também: Quantos dias ficar na Cidade do México?

Museus

Dentro do Bosque de Chapultepec existem seis museus: Museu de História Nacional (Castelo de Chapultepec), Museu de Antropologia, Museu Tamayo, Museu de Arte Moderna, Museu do Caracol e Museu de História Natural. Destes seis, o mais importante e que não deve ser esquecido é o Museu de Antropologia, pois é o principal museu de todo o país e é muito bem montado. O segundo mais importante é o Castelo. Os demais não são essenciais e são bem menores do que os dois principais, mas se interessar pelo assunto e tiver tempo pode valer a visita.

Museu Tamayo: museu dedicado ao artista mexicano Rufino Tamayo, possui obras do autor como também sua coleção particular de arte internacional que conta com obras de Picasso e Salvador Dali.

Museu de Arte Moderna: museu dedicado a artistas mexicanos modernos e contemporâneos, desde a década de 1920 até os dias atuais. Em seu acervo há obras de diversos artistas, entre eles Diego Rivera, Siqueiros y Frida Kahalo.

Museu de Arte Moderna – Foto: Wikipédia

Museu do Caracol: seu nome original é Museu da Luta do Povo Mexicano por sua Liberdade e ganhou o apelido de Caracol devido a seu formato. O museu possui quadros, fotografias e maquetes que contam um pouco da história do México. Me parecer ser o menos interessante.

Museu de História Natural: como outros museus de história natural, conta a história do universo, da terra e do ser humano. Não é grande, mas possui algumas réplicas de esqueletos de dinossauros e animais empalhados.

Museu de Antropologia: o maior e mais bem montado museu de todo o México, o Museu de Antropologia apresenta a história dos povos pré-colombianos. O museu conta com vários objetos arqueológicos e a reprodução de como eram alguns templos. No seu segundo andar, menos visitado e menos interessante, existem exposições etnográficas sobre diferentes culturais mexicanas.

Pedra do Sol (Calendário Asteca) no Museu de Antropologia

LEIA TAMBÉM:

-Cidade do México, um caldeirão de experiências e descobertas

-Basílica de Guadalupe, parada obrigatória na Cidade do México

-Como ir a Teotihuacan: com excursão ou por conta própria?

-O passeio de trajinera pelos canais de Xochimilco

-Cancún, Riviera Maya e outros locais para se hospedar

Felipe Zighttps://www.abraceomundo.com/
Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui