Início Minas Gerais Congonhas Congonhas MG: o que fazer na cidade dos profetas

Congonhas MG: o que fazer na cidade dos profetas

Congonhas, Minas Gerais, é um dos principais polos turísticos do estado. Ainda que não seja tão incensada quanto Ouro Preto, Diamantina e Tiradentes, oferece cultura e história de maneira ímpar. Em outras palavras, a cidade possui algumas das principais obras do barroco mineiro. Isso porque inclui os doze profetas de Aleijadinho, o principal nome do período colonial do Brasil. A obra é um dos destaques das cidades históricas de Minas Gerais.

Com população de aproximadamente 55 mil habitantes, a cidade está localizada na Região do Alto Paraopeba, nas margens da rodovia BR-040. Saindo de Belo Horizonte, o trajeto de de 80 km, em direção ao Rio de Janeiro é feito em 1h20 de carro.

Repleta de construções antigas, o município garante um ótimo passeio de fim de semana. Outra opção é a viagem curta de bate-volta de um dia, no caso de hospedagem em cidades próximas. Para te ajudar, separamos aqui as principais atrações de Congonhas, para você curtir o melhor da cidade. Vem conosco!

A história de Congonhas dentro do barroco mineiro

As primeiras notícias da cidade, que na época era apenas pouso de bandeirantes com destino a Ouro Preto, datam de 1691. Apenas por comparação, Mariana, por exemplo, se tornaria a primeira vila de Minas Gerais cerca de 5 anos depois. Por isso, as rotas abertas na busca do ouro se tornaram importantes naquela região, denominada posteriormente como Caminho Velho da Estrada Real.

No final do Século 18, Antônio Francisco Lisboa, conhecido por Aleijadinho, seria contratado para talhar 66 imagens de madeira com figuras da paixão de Cristo. Ainda que no período o escultor estivesse em avançada doença degenerativa, foi realizada a obra dos 12 profetas bíblicos em pedra sabão.

doze profetas de aleijadinho
Um dos doze profetas de Aleijadinho – Foto: Wikipédia (CC BY)

A partir disso, o Santuário de Bom Jesus de Matozinhos se tornaria a maior obra barroca das Américas. Inclusive, o espaço foi eleito a imagem de Minas Gerais do Século 20, em concurso realizado pela Globo Minas.

Mas o santuário não é a única atração de Congonhas. O conjunto arquitetônico e urbanístico da cidade foi tombado pelo IPHAN em 1941. Isso porque abriga outras igrejas, prédios históricos e até mesmo uma estação ferroviária de 1914. Além disso, a cidade possui um moderno museu inaugurado em 2015 e um parque com cachoeiras de alta rotatividade turística.

Também é bom lembrar que o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos foi eleito Patrimônio Mundial da Humanidade eleito pela Unesco em 1985.

O que fazer em Congonhas MG

O nome Congonhas vem do tupi, que significa “o que alimenta, o que sustenta”. Nada mais sugestivo para uma cidade de suma importância na história mineira, seja para o turismo religioso, histórico ou ecológico.

Com vários atrativos restaurados e revitalizados, elencamos os principais pontos de visitação de Congonhas, e o que você vai conhecer em cada um. Então, veja agora o que fazer em Congonhas MG.

Santuário Bom Jesus de Matozinhos: arte e fé mineira

cidades turisticas de minas gerais
Santuário do Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas – Foto: Pixabay

O complexo do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos é o principal ponto turístico de Congonhas. Isso porque é considerado uma das obras-primas do barroco mundial. O conjunto também abriga a estátua dos 12 profetas em pedra sabão e seis passos no aclive frontal ao templo, ilustrando a Via Crucis. A principal inspiração para a construção do completo é a Igreja Bom Jesus do Monte, em Braga, Portugal.

Dentro do passos é possível visitar 66 esculturas em madeira policromada de tamanho natural. Mesmo com o crescimento urbano da cidade, o Santuário se mantém intacto e conservado, sendo um dos ícones da arte sacra brasileira.

Conta a história que a basílica principal foi construída a pedido do português Feliciano Mendes. Após ter sido curado de uma doença causada pela extração do ouro, Feliciano providenciou a feitura da igreja. Os semblantes dos profetas teriam ainda sido inspirados nos inconfidentes mineiros e na frase “liberdade, ainda que tardia”.

Santuário Bom Jesus de Matozinhos
Capelas da Paixão de Cristo no Santuário Bom Jesus de Matozinhos – Foto: Wikipédia (CC BY)

As capelas e o Santuário estão abertos à visitação de terça a domingo, até 20h30. O local também é centro de uma das mais populares devoções do país, com uma enorme de coleção de ex-votos.

Essa coleção forma um grande acervo na Sala de Milagres, ao lado do Santuário. Isso porque fiéis do mundo inteiro deixam fotografias, roupas, placas, cruzes e outros itens de agradecimento.

Quando se fala em o que fazer em Congonhas MG, todo mundo pensa no Santuário do Bom Jesus de Matosinhos. Porém, há outras atrações na cidade que mostramos a seguir.

Romaria: antigo abrigo em eventos religiosos

congonhas mg pontos turisticos
Romaria já foi local de acolhida de romeiros e em 2020 está em reforma para ser um centro cultural – Foto: divulgação Prefeitura Congonhas

Um pouco abaixo do Santuário, no final da Alameda das Palmeiras, é possível visitar a Romaria de Congonhas. Construída no início da década de 1930, primeiramente, era uma espécie de pousada com várias casas em círculo, ao redor de um imenso pátio. Naquela época, serviu para abrigar os pobres que iam à cidade participar do jubileu do Senhor Bom Jesus de Matozinhos. Os festejos datam desde 1770, e acontecem anualmente dentre o período de 7 a 14 de setembro.

A romaria foi desativada na década de 1960, e em 1993, recuperada pelo poder público. Em sua reinauguração, passou a abrigar uma sala de exposições, auditório, museu sacro e loja de souvenirs. 

Nos dias atuais, é o principal ponto de eventos abertos na cidade, como o Minas ao Luar e o Luar na Romaria. Com entrada livre, pode ser visitada de 7h às 18h de segunda à sexta. Nos sábado e domingo, funciona de 8h às 17h.

Museu de Congonhas: o primeiro museu de sítio do Brasil

museu congonhas
Museu de Congonhas é o principal museu da cidade – Foto: Unesco / Leo Lara (CC BY-NC-ND 2.0)

O Museu de Congonhas oferece informações históricas e de contexto para ampliar o conhecimento durante a visita ao Santuário. Isso porque ele é voltado tanto para o turismo cultural quanto religioso, uma vez que monitora e avalia a conservação dos espaços de visitação.

O prédio que abriga o Museu foi inaugurado em 2015. Ainda que possua uma arquitetura contemporânea, se harmoniza com o local onde está inserido.

Dispondo de salas de exposição, biblioteca, anfiteatro ao ar livre e auditório, o museu conta com painéis interativos. 

A proposta de museu de sítio foi feita para compreender melhor o lugar onde ele se encontra. Por isso, conta com exposição permanente de ex-votos desde o Século 18 até a única imagem existente de Aleijadinho.

O museu pode ser visitado de terça à domingo, de 9h às 17h, com taxa simbólica de R$10. Às quartas, a visitação é de 13h às 21h com entrada gratuita. A visita guiada pode ser pedida sem custo adicional, pelo site do museu.

Museu da Imagem e Memória de Congonhas

museu da imagem congonhas
Museu da imagem e memória de Congonhas – Foto: Google Street View

Também conhecido por Museu da Ladeira, o Museu da Imagem e Memória de Congonhas MG fica próximo ao Santuário. Apesar da simplicidade de sua fachada, conta com arquivos, fotos e documentos que recontam a história da cidade. Numa iniciativa de preservação além do período colonial, há uma grande exposição em homenagem ao médium Zé Arigó. 

O espírita teria sido um dos maiores médiuns a receber o espírito do Doutor Fritz, famoso médico alemão morto em 1918. O mito sobre a história de Zé Arigó perpassa, por exemplo, inclusive Juscelino Kubitschek. Contam que o ex-presidente teria tido sua filha curada de uma leucemia por intervenção do cidadão congonhense. Além disso, o museu apresenta a história de médicos, juízes, jornalistas, professores e padres que de destacaram na cidade.

Igreja de São José: estilo neoclássico

igrejas congonhas mg
Igreja de São José, um dos destaques de Congonhas Minas Gerais – Foto: Google Street View

Ainda que não contraste com o estilo barroco do Santuário, a Igreja Matriz de São José Operário possui peculiaridades. Com sua construção iniciada em 1817, possui 3 altares primitivos e torres arredondadas, similar à Igreja São Francisco de Assis, em Ouro Preto.

Em seu interior há colunas toscanas, pouco comuns nas igrejas mineiras. Nos dois altares, as imagens de Cristo e de Maria Imaculada, que formam a Sagrada Família com a imagem de São José no teto. Anexa à igreja, existia uma escola para a educação de jovens, que foi anteriormente dirigida pela Irmãs Marcelinas.

A visitação é gratuita e a igreja encontra-se próximo ao centro comercial de Congonhas, aberta de 8h às 18h.

Igreja Nossa Senhora da Conceição

o que fazer em congonhas mg
Igreja Nossa Senhora da Conceição – Foto: Google Street View

Situada do lado oposto do Santuário, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição também data do Século 18. De acordo com documentação existente, de fachada plana e estilo jesuítico, sua conclusão aconteceu em 1735. Em sua capela-mor, datada de 1764, foi dourada pelo pai de Aleijadinho, Manuel Francisco Lisboa.

A igreja foi restaurada em 2017 e além do pai, é atribuída também a Aleijadinho, por exemplo, a porta e os serafins que decoram sua fachada.

Igreja do Rosário: a mais antiga construção religiosa de Congonhas 

congonhas minas gerais
Igreja do Rosário, apesar de pequena é a igreja mais antiga de Congonhas MG – Foto: Google Street View

Enquanto o Santuário, a Igreja São José e Nossa Senhora da Conceição destacam por sua suntuosidade, a Igreja do Rosário é modesta e simples. Portanto, ainda que possua o nome de igreja, é uma capela construída pelos escravos dos primeiros mineradores. Data do fim do Século 17, abriga os santos pretos Santa Efigênia e São Benedito, além de Santo Expedito, Santo Antônio e São José. 

Mantendo a devoção à Nossa Senhora do Rosário dos pretos de Congonhas, há registros de festividades desde 1748.

No interior da igreja, há uma anotação com o nome dos 3 escravos que mais trabalharam ali: João, Maurício e Januário.

Parque Ecológico da Cachoeira: lazer e diversão para todas as idades

parque da cachoeira congonhas
Piscina natural no rio Santa Cruz – Foto: divulgação Parque da Cachoeira

Quando se fala em o que fazer em Congonhas MG, a maioria das pessoas só lembra das igrejas, museus e a parte histórica da cidade. Entretanto, há uma outra atração bem diferente na cidade.

Fugindo um pouco do turismo cultural e religioso, Congonhas conta com um parque ecológico a apenas 5 km do centro da cidade.  Com excelente infraestrutura de lazer, com quadras, piscinas naturais, toboáguas e área de camping.

O Parque Ecológico da Cachoeira é ideal para quem quer curtir a natureza, passear ao ar livre ou fazer trilhas. Destas últimas, existem dois trechos guiados, com graus de dificuldade diferentes.

parque ecologico da cachoeira congonhas
Cachoeira do Cará – Foto: divulgação Parque da Cachoeira

Situado no encontro dos rios Cará e Santa Cruz, o parque abrange florestas nativas, campos, vales, plantas e animais silvestres. Contudo, seu destaque fica por conta da cachoeira do rio Cará, que tem acesso direto pelo parque e pode ser utilizada para banho.

O ingresso inclui acesso às áreas cobertas de churrasco e piquenique, e o parque funciona de 8h às 17h, exceto às segundas-feiras.

Quando visitar Congonhas: feriado religiosos e eventos locais

Ainda que convidativa o ano todo, há eventos pontuais em Congonhas que merecem destaques. Assim como em outras cidades coloniais, há uma variedade de artesanato, música e gastronomia que rendem festivais específicos para eles.

Os principais eventos em Congonhas Minas Gerais são:

Festival da Quitanda

No terceiro domingo de maio acontece o Festival Quitanda que promove a culinária mineira com diversos tipos de quitutes e iguarias. Em outras palavras, você irá encontrar bolos, doces, pães, caldos e outras maravilhas da cozinha mineira. O evento acontece no espaço interno da Romaria.

festival da quitanda congonhas
Doces feitos para o Festival da Quitanda – Foto: divulgação Prefeitura Congonhas MG

Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos 

O evento acontece, anualmente, no mês de setembro reúne mais de 100 mil pessoas. Isso porque conta com mais de 260 anos de tradição e possui barracas com comidas, artesanatos e artigos religiosos. Porém, o foco da maior parte dos romeiros que participa do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos é cumprir as promessas que se transformaram em bênçãos.

Onde comer em Congonhas MG

A maioria dos restaurantes da cidade oferecem a típica comida mineira. Ou seja, isso significa encontrar o frango com quiabo, feijão tropeiro e demais guloseimas.

No Complexo do Santuário estão dois dos mais tradicionais restaurantes da cidade: o Casa da Ladeira e a Cova do Daniel. Ambos oferecem comida feita no fogão à lenha, além de opções como hambúrgueres artesanais e pizzas.

Outras opções na cidade são: Restaurante Malagueta e Armazém Santa Rita. Porém, nestes outros casos, não há a estrutura colonial, sendo opções convencionais na parte mais moderna da cidade.

Quantos dias ficar em Congonhas Minas Gerais

Por se tratar de uma cidade pequena e com pontos turísticos próximos, não há necessidade de ficar vários dias em Congonhas. Por isso, há muitos turistas que preferem se hospedar em Belo Horizonte, ou ainda em outras cidades históricas do circuito. Ouro Preto, por exemplo, fica há cerca de 1h20 de Congonhas pela MG-129, e oferece maior variedade de pontos turísticos. Veja o texto que fizemos sobre onde ficar em Ouro Preto com dicas de pousadas e hotéis.

Também há Tiradentes e São João del Rei, em sentido oposto a Belo Horizonte, e com trajeto de pouco mais de 2h de carro.

A menos que o visitante queira ter maior contato com a cultura local, o passeio de um dia completo pode ser suficiente.

Aos que desejam uma viagem rápida, mas sem a correria de um bate e volta, é recomendável uma noite na cidade.

o que fazer em congonhas
Festival da Quitanda acontecendo ao lado da Igreja de São José – Foto: Prefeitura de Congonhas MG

Importante lembrar que Congonhas fica lotada durante os feriados religiosos. Ou seja, se você deseja apenas conhecer os pontos turísticos, evite estes períodos.

Onde ficar em Congonhas MG

Se você pensa em se hospedar em Congonhas MG precisa saber que há poucas opções de hotéis na cidade. Há menos de 10 hospedagens em Congonhas e nenhuma sofisticada. Entretanto, os preços são interessante se comparado com as cidades mais turísticas de Minas Gerais.

As melhores opções da cidade e também as mais procuradas são o H2 Hotel que apesar de ser um hotel mais novo, fica um pouco mais afastado do centro histórico. A Pousada Circuito dos Inconfidentes é também um boa opção e fica a apenas 600 metros do Santuário Bom Jesus de Matozinhos. Para quem quer ficar no centro da cidade, em uma região mais movimentada há o Hotel dos Profetas.

onde ficar em congonhas mg
Pousada Circuito dos Inconfidentes fica a apenas 600 metros do Santuário Bom Jesus – Foto: divulgação

Dicas de Congonhas MG

  • Não se esqueça de calçado confortável, pois você irá subir várias ladeiras durante seu passeio na cidade.
  • Leve algum dinheiro em espécie, já que boa parte das lojinhas de souvenirs e artesanatos no centro histórico não aceitam cartões.

Agora que você já sabe o que fazer em Congonhas MG, veja nosso texto sobre o turismo em Minas Gerais para saber o tipo de turismo que existe no estado e o perfil dos visitantes. Já para conhecer o que há de mais interessante, conheça as cidades turísticas de Minas Gerais e parques ecológicos.