Foto: Pixabay Capadócia

A Capadócia é um dos destinos mais bonitos e visitados da Turquia. Depois de Istambul, o local mais interessante da Turquia é a Capadócia. Então, vale a pena incluir esse destino no seu roteiro de viagem.

Para lhe ajudar a programar melhor a sua viagem, fiz esse texto com as informações e dicas mais importantes para quem quer conhecer a Capadócia.

Quando ir

A melhor época para visitar a Capadócia é na primavera e no outono, ou seja abril a junho, setembro e outubro. Julho e agosto é alta temporada devido às férias escolares do hemisfério norte. Nesta época do verão, a Capadócia fica lotada e cara, além das temperaturas ficarem mais altas. Por isso, se puder optar por viajar na primavera ou outono será melhor e mais barato.

Já no inverno, novembro a fevereiro, é a pior época do ano para fazer essa viagem. Por ser uma região montanhosa, faz bastante frio no inverno, podendo até nevar. Além disso, é a época que o tempo estará pior para fazer o voo de balão, podendo ocorrer mais cancelamentos. Por outro lado, os pontos turísticos estarão vazios e se der “sorte” de pegar neve, verá a Capadócia de uma maneira que poucos conhecem.

Capadócia sob neve – Foto: Pixabay

Como chegar

A Capadócia não é uma cidade, mas uma região localizada na área central da Turquia e distante 750 km de Istambul. Devido à distância e aos voos dentro da Turquia serem baratos, a maioria dos turistas chegam até a Capadócia de avião

Quantos dias ficar

O mínimo de tempo para aproveitar a Capadócia são três dias e duas noites. Com esse tempo, você consegue conhecer as principais atrações turísticas do local. Dois dias e uma noite é pouco tempo e muito arriscado de você não conseguir fazer o passeio de balão, pois se cancelarem o voo de balão devido ao mau tempo, ele é remarcado para o próximo dia. O passeio acontece logo ao raiar do dia.

Por outro lado, se você quiser conhecer a Capadócia com mais calma e visitar mais atrações pode ficar cinco dias por lá, que é um bom tempo para aproveitar toda a região.

Onde ficar

Como a Capadócia é uma região, existem várias pequenas cidades onde você poderá se hospedar. Apesar de possuir muitas opções, a grande maioria dos turistas opta por ficar em Goreme ou Urgup. Essas são as duas principais cidades turísticas da Capadócia e onde concentram-se a maior parte dos hotéis, restaurantes e agências de turismo.

Goreme é, para mim, a melhor opção de hospedagem. Cidade pequena, mas charmosa, é lá que se encontra o Museu a Céu Aberto. Para ver as opções de hospedagens leia: Hotéis em Goreme, veja onde ficar.

hotel caverna capadocia

Foto: divulgação Anatolian Houses Cave Hotel

Urgup, a apenas 9 km de distância de Goreme, é a outra opção. A cidade também é bem bonitinha e possui uma região apenas com hotéis de caverna. Para saber onde se hospedar leia: Hotéis de caverna em Urgup, veja onde ficar.

O que fazer

A Capadócia é uma região muito peculiar devido ao seu relevo, onde encontram-se formações rochosas de vários tipos e formatos. Uma das mais conhecidas são as chaminés das fadas. Porém, existem também formações rochosas que lembram animais e a lua.

Entretanto, o que deu fama a Capadócia é que muitas dessas formações rochosas inusitadas serviram de moradias para civilizações antigas e para cristãos na Idade Média. Eles esculpiam suas casas e igrejas dentro das rochas e há, inclusive, algumas cidades subterrâneas, onde eles se escondiam de invasores.

Voo de balão

A atração mais famosa e desejada pelos turistas que visitam a Capadócia é o voo de balão. O voo, que dura cerca de uma hora, começa bem cedo, no comecinho da manhã. Várias empresas oferecem o voo, mas em períodos de alta temporada os balões costumam ficar cheios, por isso é bom reservar com antecedência. O que mais desanima os turistas é o preço, bem alto para um passeio de apenas uma hora em um balão que leva mais de 20 pessoas. Para saber informações essenciais sobre o voo de balão sugiro que leia o texto: Voo de balão na Capadócia: preços, dicas e advertências.

Foto: Pixabay


Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.